Dicas

Dica de exposição: im.fusion – MIS

Certamente, fazia mais de um ano e meio que eu não ia à uma exposição, desde quando se iniciou a pandemia. Mas, agora, como acabei de entrar de férias da minha faculdade (sim, estou indo para o quarto semestre, da minha segunda graduação), e estou em São Paulo, resolvi pesquisar sobre o que tinha de bacana acontecendo por aqui.

Foi aí que encontrei, pela internet, o im.fusion e só de ler do que se tratava, já me apaixonei! A exibição nos propõe uma reflexão sobre a forma como interagimos com o micro e o macro, em diferentes ambientes e contextos…

Então, agora, sob minha própria leitura, posso contar que o seu nome (im.fusion) faz jus à experiência, uma vez que, se trata de uma forma de nos colocar imersos (em fusão) com o ambiente criado. Tudo acontece em uma sala escura, com diversos sensores e projeções de efeitos especiais. A experiência se inicia com as moléculas e bactérias, que se desenvolvem e formam a diversidade de um ecossistema para, depois, finalizar com o universo como um todo.

Realmente, acredito que a intenção seja para repensar: o que estamos fazendo aqui? Que caminhos queremos seguir? E, digo mais, isto tudo me remete muito à uma questão que estou refletindo (e lendo sobre) ultimamente, que é: o reducionismo. Pois, acredito que, nos dias de hoje, estamos vivendo em um mundo muito simplista e dicotômico, no qual as especialidades são muitas, mas não há uma interação propriamente dita com o todo; ou melhor, esta interação é, na maioria das vezes, ignorada.

Portanto, para mim, esta experiência nos trás isso fortemente! A certeza de que o micro está contido no macro e, de nada adianta, queremos nos ‘ancorar’ às ‘certezas’ encontradas isoladamente, pois “o todo é maior do que a soma de suas partes”.

As visitas seguem protocolos das autoridades sanitárias no combate à pandemia. Sem necessidade de contato físico e com o limite de seis pessoas por sessão, o im.fusion conta com tratamento antibacteriano e equipamentos de filtragem do ar.

Se interessou? Ainda dá tempo de conferir! A exibição está sendo no MIS-SP Jardim Europa e vai até dia 18 de julho.

Saiba mais em: MIS – Museu da Imagem e do Som

Saúde e bem-estar

Vamos reaprender a comer?

O emagrecimento se dá pelo balanço energético negativo, ou seja, quando ingerimos menos do que gastamos.

Mas, será que emagrecer é tão simples assim? Com certeza, não.

Por trás dessa ‘simples’ matemática, existem outros ‘n’ fatores que estão envolvidos nesse processo.


Com isso, é bastante complicado alguém falar em uma ‘fórmula‘ de emagrecimento que se aplique a todos. Eu, particularmente, acredito em uma alimentação mais saudável e duradoura, através de hábitos incorporados ao estilo de vida. Para isso, precisamos reaprender a comer, sem dicas milagrosas e colocando sempre a saúde em primeiro lugar.

Quer saber como? Então, confira as 9 dicas deste post:

01 – Comece o dia bebendo água e continue fazendo isso durante todo o dia.

Se praticar atividades físicas ou morar em algum lugar muito quente, provavelmente tenha que ingerir muito mais do que os meros 2 litros/ dia.

02 – Faça dos alimentos in natura ou minimamente processados a base da sua alimentação.

Evite alimentos ultraprocessados, bem como o excesso de sal, açúcar e gorduras.

03 – Coma com regularidade.

Fazer 6 refeições por dia, comer de 3 em 3 hs ou fracionar as porções durante o dia são estratégias que costumam funcionar para aumentar sua atividade metabólica diária.

04 – Coma devagar e com atenção plena (mindfulness eating).

“Quando comer, simplesmente coma.” Sem celular, TV, ou distrações. Prestar atenção e aproveitar sua refeição é essencial para uma melhor digestão e saciedade.

05 – Quando você vai comer está realmente com fome ou simplesmente com apetite?

Saber identificar se o seu corpo realmente precisa do alimento naquele momento é muito importante! Pois, muitas vezes, acabamos comendo numa tentativa de ‘tapar buracos’ emocionais.

06 – Coma colorido.

A variedade e qualidade dos alimentos é tão importante quanto a quantidade ingerida. Não é questão de restringir, mas de saber harmonizar as proporções em busca de um certo equilíbrio, levando em consideração que cada indivíduo possui necessidades diferentes.

07 – Pratique, ao menos, 30 minutos de atividade física por dia.

Sim, todos os dias! Esta pode não ser uma dica de alimentação, mas está diretamente ligada à sua saúde e metabolismo. Então, escolha uma atividade que você realmente gosta e deixe tudo mais prazeroso.

08 – Durma de 7a a 9 hs por dia.

Tanto a quantidade de horas, como a qualidade do sono impactam diretamente nas suas escolhas alimentares, bem como em suas atividades metabólicas. Portanto, querer ‘abraçar o mundo’ e achar que dormir é perda de tempo já não ‘cola’ mais, hoje em dia. Precisamos respeitar mais os nossos sinais biológicos.

09 – Incorpore, aos poucos, as novas mudanças no seu dia a dia, até se tornarem um hábito.

Não precisa ser tudo de uma só vez, mas precisa ser constante. Enjoy ;)

____________________________________________________________________

Referências bibliográficas do post:

  • Emagrecimento – Uma Abordagem Multidisciplinar, Lancha Jr. e Luciana Lancha, 2020
  • Guia Alimentar para a População Brasileira, 2014
  • Leis da Alimentação, Pedro Escudero, 1937
  • Nutrição Comportamental, Alvarenga M, Antonaccio C, Figueiredo M, Timerman F., 2015
  • Pirâmide Dos Alimentos – Fundamentos Básicos da Nutrição, Sonia Tucunduva Philippi, 2014

* Se você busca uma dieta personalizada, procure um(a) Nutricionista.