Nutri, pra que te quero?

07132431_g

Para quem me conhece um pouco, sabe que sempre gostei de me alimentar de forma saudável, aliás, desde meus 11 anos para ser mais exata. Com isso também sempre fui taxada de ‘chata’ por alguns e ‘inspiração’ para outros. Bem, mas isso não vem ao caso, cada um com suas escolhas, não é mesmo?

Sempre fui contra dietas rigorosas, remédios e essa coisa toda. Para mim o resultado nunca veio de maneira rápida, mas de uma maneira consistente. Mais do que comer de maneira saudável, é aprender a gostar deste estilo de vida, que vai além das aparências…

Mas, quando falamos de alimentação, não existe uma verdade absoluta. Cada nutricionista adota uma determinada linha. Portanto, eu acabo aprendendo e assimilando sempre aquilo que faz mais sentido para mim. Vale considerar também que sempre prefiro os(as) profissionais voltados ao esporte.

Aliás, este é um dos principais motivos pelo qual fui procurar uma nova profissional da área. Ultimamente, estava sentindo uma necessidade de uma orientação para saber, por exemplo, quantidade e melhores horários para comer determinado grupo de alimento, especialmente se tratando de uma pessoa ativa, que pratica atividades físicas todos os dias.

Hoje completam exatamente duas semanas que estou seguindo meu novo cardápio e já senti bastante diferença! Tudo flui melhor e não tem essa de passar fome. A boa alimentação é uma baita aliada dos treinos.

 

Mas, então, o que mudou? 

Compartilho aqui algumas dicas chaves que vão além do ‘evite doces’, ‘coma de 3 em 3 horas’, ‘prefira carboidratos integrais’, como já estamos cansados de saber. Seguem abaixo alguns pontos que me fizeram uma ENORME diferença no dia-a-dia:

01. Coma BEM devagar e mastigue bastante. Nada de assistir TV ou ficar no celular.

No meu caso, eu mesmo sabendo da importância da mastigação, estava comendo muito rápido e sempre com o celular nas mãos.

02. Ficar reduzindo a quantidade de alimentos ingeridos, muitas vezes, pode não funcionar. Se você comer menos do que precisa, seu corpo poderá tentar ‘economizar combustível’.

No meu caso, eu estava comendo menos do que precisava nas refeições. Já imaginou isto no momento do exercício? No mínimo não vai render…

03. Não adianta ser radical como, por exemplo, comer somente proteína e salada. Nosso corpo precisa ‘de tudo um pouco’. Portanto, é muito importante a variedade dos grupos alimentares, para não ‘compensar’ na próxima refeição.

Tão certo quanto 1 + 1= 2. Ou exagera na próxima ou fica beliscando tudo o que vê pela frente. Falo por experiência própria. Rs.

 

Curtiu? Então depois do meu retorno eu conto mais. Até a próxima ; )

Participe comentando 💬

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s