Teste de Lactato

Nesta sexta-feira (26) fiz meu primeiro Teste de Lactato (teste de esforço com análise nas concentrações de lactato), no Studio BioEco Esportes. Não sou atleta, mas como amante da bicicleta, é sempre bom poder evoluir na modalidade e encarar novos desafios! Por isso, nada melhor do que parâmetros e informações mais precisas, a fim de melhorar a eficiência dos treinos.

Então, hoje aproveito para compartilhar com vocês algumas curiosidades sobre o teste e, posteriormente, pretendo também passar meu feed-back sobre os resultados obtidos. Agora, só falta mesmo é treinar! Rs.

De acordo com Ricardo Simões, professor que aplicou o teste: “A avaliação consiste em estágios com aumento crescente do esforço partindo de uma intensidade leve até a exaustão. A cada 3 minutos há aumento da carga e dosagem da concentração de lactato. O lactato é um importante indicador do sistema energético que o organismo está utilizando de forma predominante (aeróbio ou anaeróbio), qual substrato está sendo metabolizado (gorduras ou carboidratos), além de ser um importante indicador de fadiga. Quando há aumento importante do nível de lactato em relação ao dosado em repouso determina-se precisamente a potência (watts) e a frequência cardíaca nas quais a fadiga começa a se manifestar e em qual intensidade ela torna-se insustentável.

Os testes de esforço com dosagem de lactato são bastante utilizados para todas as modalidades de endurance, como o ciclismo. As informações obtidas na avaliação facilitam e melhoram qualitativamente a construção dos treinamentos, pois permitem compreensão precisa e global de como se comporta o sistema metabólico de cada atleta em diferentes intensidades de esforço.” 

 

Variáveis analisadas:

VO2max: é sua potência aeróbia máxima – o máximo que consegue absorver de oxigênio para produção de energia. Nesse protocolo essa variável é estimada de forma indireta pela potência máxima gerada – watts do último estágio alcançado – a idade e o peso corporal. 

Limiar anaeróbio (L1):  é a intensidade do exercício até a qual você consegue suprir toda demanda energética somente utilizando o oxigênio e a gordura como substrato energético. Quanto mais alta a intensidade na qual você consegue suprir a demanda energética somente com oxigênio e gordura melhor para o desempenho em provas de endurance.

Máximo Estágio de Lactato Estável (Mlac Est): é a intensidade de esforço até a qual consegue-se manter o exercício suportando a fadiga. No seu teste esse ponto coincidiu com o anterior. Isso ocorre geralmente nas fases de treinamento extensivo com muito volume e pouca variação de intensidade elevando o L1 ao mesmo nível de intensidade do Mlac.

Curva potência/peso corporal (w/kg): é quanto do seu peso corporal você está carregando para cada watt de potência produzido pedalando.

** Ricardo Simões é formado em Educação Física e Mestre em Performance Humana.

 

Participe comentando 💬

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s