Um novo estilo de vida para toda a família

Beatriz Frias

Está difícil cuidar da saúde e manter a forma? Imagina então quando essa responsabilidade passa a ser não mais somente pessoal?

As brincadeiras de rua se tornaram jogos on-line e cada vez surgem mais produtos industrializados para facilitar a correria do nosso dia a dia. O cenário do mundo moderno nos conduz para o mínimo esforço e praticidade em primeiro lugar. O resultado disso?  Sedentarismo e má alimentação. Não é à toa que a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) estima que o número de crianças obesas do Brasil cresceu 240% nas últimas duas décadas. O problema já é considerado epidemia mundial.

E não para por aí. A partir de experiência própria, posso afirmar que a aceitação dos mais ‘cheinho’ na escola também não é das melhores, fazendo com que a criança possa se sentir um tanto quanto excluída do grupo de amigos. Lembro-me que, durante minha infância, eu procurava fazer amizades com crianças que tinham uma forma física parecida com a minha, com as quais eu acabava me identificando mais.

Tudo isso também não era à toa! Foram muitos doces, salgadinhos e’porcarias’ em geral. E, como a genética não ajudava, não havia aulas de ballet nem outro esporte que queimassem todas aquelas calorias ingeridas.

Mas, o tempo foi passando, a infância já estava chegando ao fim e os interesses já não eram mais os mesmos. Foi quando estava quase fazendo 11 anos de idade que resolvi colocar um ponto final nisso tudo. Tive a oportunidade de conhecer o que realmente era uma reeducação alimentar e comecei a procurar praticar alguma atividade física todos os dias, nem que se fosse uma caminhada.

Claro que, neste momento, foi de extrema importância o apoio da minha família. Pois, não adianta nada quando o filho quer mudar seus hábitos e a alimentação em casa é péssima.  No meu caso, por exemplo, meus pais acabaram’mudando junto’ e foi minha tia Juliana quem fez a diferença naquelas férias de julho. Acompanhava-me tanto nas palestras de nutrição, quanto nas caminhadas.

Voltei para a escola em agosto como se fosse outra pessoa. Como ainda estava em fase de crescimento, tudo foi mais rápido e fácil. Ou não. Imagina a força de vontade e determinação que uma pessoa/ criança de dez para onze anos precisa ter para fazer tudo tão certo. E ainda eu tinha até caderno, onde anotava tudinho o que comia! Pois é, foi a partir daí que notei a diferença que isso fez em minha vida e como é bom se sentir bem consigo mesmo.

Dificuldade? Puxa, foi realmente foi muito difícil. Mas, na medida em que ia vendo o resultado, isto me motivava cada vez mais e sabia que estava mais perto do meu objetivo. Foi um aprendizado para minha vida! Diferente de métodos instantâneos e “milagrosos”, este aqui exigiu muito foco e disciplina. O segredo está em fazer isto tudo de uma forma prazerosa. Ser saudável pode ser sim, muito gostoso!

Mas, voltando, acredito que com a minha experiência posso colaborar um pouquinho com vocês. A chave para o equilíbrio? Continua sendo: atividades físicas e reeducação alimentar. E isto precisa ser apoiado dentro de casa e pela família.

Aqui vão alguns passos:

  • Preparar uma lancheira para levar à escola com frutas, iogurte, suco, lanche natural…  muitas vezes, nas cantinas não há opções saudáveis para comer ou a criança pode não ter discernimento para escolher o que é mais saudável para ela;
  • Ter sempre muitas frutas, verduras e legumes em casa. Evitar frituras, refrigerantes e doces durante a semana (o ideal é ter o mínimo possível na despensa);
  • Não precisa ser tudo de uma hora para outra, nem radical. Faça as substituições gradativamente, para que a criança possa ir acostumando, aos poucos;
  • Esporte é sempre muito bom! Mas é importante que a criança se identifique com a modalidade. Opções hoje é que não faltam…;
  • Não se esqueça de que brincar na piscina ou na rua, andar de patins e de bicicleta, além de ser super gostoso, também são ótimos exercícios para se praticar;
  • Cabe aqui ressaltar a importância de um profissional de nutrição para uma melhor orientação na alimentação.

Pena que muitos veem tudo isso com muita dificuldade. Mas eu garanto que se você conseguir incorporar, aos poucos, alguns passos básicos, isto pode ir se tornando um hábito e mudar tanto o seu, quanto o estilo de vida dos seus filhos. É somente uma questão de escolha. Eu fiz a minha, 13 anos atrás. E você, já fez a sua?

 

Artigo publicado originalmente na Revista ARRASO | Filhos (do Jornal de Piracicaba) * edição n.36 *

Muito feliz com meu 1° artigo na revista Arraso!!! 🔝📝🙋💛

A post shared by 🅱️e (@beatrizfrias) on

8 comentários em “Um novo estilo de vida para toda a família

  1. Pô Be é isso ae. Cada ano que passa, mudar de hábitos alimentares e esportivos está cada vez mais difícil. Passamos mais tempo nos escritórios do que na rua, comemos aquelas porcarias em curto espaço de tempo e vangloriamos o “Estou tão ocupado, estou tão ferrado hoje”. Isso não pode acontecer… e nossas crianças terão o papel de mudar isso, senão serão todos como aquele filme do wall-e. :/
    Belo texto e to mega contente com você nas revistas!!! Uhulll… Bora comemorar com uma corrida, carbo e isotônico? kkk
    Beijão

Participe comentando 💬

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s